Startup brasileira poderá atingir o valor de mercado de US$ 1 bi em 2018

A Didi Chuxing, a maior empresa de prestação de serviços de carros particulares do mundo, passou a assumir o controle do aplicativo 99. O valor da transação da aquisição da 99 pela Didi Chuxing atingiu a casa dos R$ 960 milhões, segundo dados de Lauro Jardim, colunista do jornal “O Globo”. Essa negociação permitiu ao Brasil a possibilidade de conseguir uma startup unicórnio, denominação dada a uma startup que atinge a casa de US$ 1 bilhão diante do mercado.

A negociação do aplicativo 99 levou em consideração uma bagatela dos fundos “Riverwood Capital, Monashees, Qualcomm Ventures, Tiger Global” e da Softbank, empresa de telecomunicações. Está transação milionária também estima uma grande injeção de recursos vindos da Didi Chuxing para a empresa 99, oferecendo a oportunidade de se elevar diante da Uber. Em 2017, a Didi Chuxing realizou um aporte de US$ 200 milhões diante de seus investidores no ano passado. Considerada a maior rival da Uber, a empresa chinesa domina esta parcela do mercado devido ao grande número de usuários na China.

O número de corridas que o aplicativo 99 passou a oferecer teve um grande aumento com as abordagens que a Didi Chixing vinha exercendo. Em uma entrevista realizada no final do ano passado pela Reuters, Peter Fernandez, atual presidente-executivo da 99, declarou que havia interesse da startup se aliar e se beneficiar de recursos. De acordo com o presidente, “não existe um 2018 sem mais captação de investimentos, isso vai acontecer mais vezes este ano”.

Segundo a Reuters, o objetivo é permitir um crescimento da 99Pop, serviço que pode ser comparado com o oferecido pela Uber e que já está presente em 26 municípios do Brasil. De acordo com Ricardo Kauffmann, porta voz da startup 99, a expectativa é conseguir um aumento da carteira de clientes que não se concentram nas grandes capitais e cidades do país, e que não tem o hábito de utilizar este tipo de serviço.

Com a injeção de recurso, o aplicativo 99 terá a oportunidade de se reformular e receber melhorias a curto prazo. Isso incluirá recursos que permitirão os passageiros monitorarem trajetos realizados em tempo real. A startup prometeu se manifestar oficialmente em breve. “A respeito de informações de mercado publicadas hoje (2 de janeiro de 2018) pela imprensa, a 99 informa que se manifestará no momento oportuno”.