Análise de PMI para viabilizar leilão de rodovia que liga os estados de Minas e Goiás é concluída por EPL, destaca Felipe Montoro Jens

Já foi concluída pela Empresa de Planejamento e Logística (EPL) a análise dos estudos do trecho das rodovias BR-364 e BR-365, que deve ir a leilão ainda em 2017. Trata-se de um importante corredor para o escoamento da produção agroindustrial do sudeste goiano e do Triângulo Mineiro. São 437 km de extensão entre a estrada que liga a cidade de Uberlândia, no Estado de Minas Gerais, e a cidade de Jataí, no Estado de Goiás. O especialista em Projetos de Infraestrutura, Felipe Montoro Jens, reporta que os estudos iniciais foram realizados na modalidade de Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI).

Qualificada pelo Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), a concessão do trecho das rodovias BR-364 e BR-365 será muito positiva para o processo de recuperação da economia, bem como na retomada da geração de empregos para o país.

O relatório que será enviado ao Tribunal de Contas da União (TCU), previamente à realização do leilão do empreendimento, é composto pelo material revisado que incorpora as contribuições recebidas nas audiências públicas, salienta Felipe Montoro Jens, que ainda destaca que, para contemplar os ajustes, a Empresa de Planejamento e Logística fez a análise do material produzido inicialmente, com base em dados técnicos e projeções de demanda e investimentos necessários, obtidos com rigor e confiabilidade.

No projeto de concessão da Rodovia de Integração do Sul, esse mesmo procedimento também foi realizado. Ou seja, a EPL concluiu os estudos para otimização de soluções de engenharia e de operação rodoviária e entregou o relatório para aprovação do TCU, ressalta Felipe Montoro Jens.

A BR-101, em Santa Catarina, que ainda está em fase de análise, é outra rodovia que passará pelo processo de revisão em busca de uma modelagem melhor e mais econômica.

A EPL

Com a missão de planejar os transportes e a logística do País, a Empresa de Planejamento e Logística é uma companhia pública brasileira, constituída sob a forma de sociedade anônima de capital fechado, vinculada à Secretária-geral da Presidência da República, por meio da Secretaria Especial do Programa de Parcerias de Investimentos, com personalidade jurídica de direito privado, patrimônio próprio, e autonomia administrativa e financeira, reproduz o especialista em Projetos de Infraestrutura, Felipe Montoro Jens.

O papel da EPL é o de garantir que os projetos de infraestrutura sejam sustentáveis, economicamente viáveis, atendam às reais necessidades do Brasil e, além disso, também sejam atrativos para os investidores.

Felipe Montoro Jens reporta que o trabalho realizado pela Empresa de Planejamento e Logística tende a atrair um número maior de interessados na concessão, visto que oferece informações claras e disponíveis a todos. Situação que permite que os futuros concessionários estudem o negócio e façam seu planejamento em condições igualitárias.